Loading

José Pedro Rodrigues Gonçalves

O GRITO

O GRITO



Ah! Mulher!

Esse teu grito retumbou em meus ouvidos

e teu clamor chegou ao fim do mundo.

Mundo de lama onde vivem os insensíveis

e os possíveis celerados da modernidade.

Os que matam comandando barbáries

e nunca se envergonham

de medonhas carnificinas enlameadas,

pois de lamas são suas entranhas.

Ah! Mulher!

Pode gritar, mesmo que rompa meus ouvidos.

O alarido de teu grito precisa chegar

ao mundo inteiro,

para dizer do desvario desse gente,

temerária e impenitente

que matam inocentes por dinheiro.

Grite, mulher!

Pois teu grito não será mais dessa dor

tão grande e insuportável,

mas da mais pura indignação.

Grite, mulher!

Mas grite tanto, que nem esse teu pranto

endurecido pela lama tão ferruginosa,

consiga esconder a força poderosa

de teu grito,

que ecoara por todo o infinito

e trará, em breve tempo,

a justa recompensa e o alento

de ter um futuro mais bonito.

 

José Pedro Rodrigues Gonçalves

28-01-2019.